sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

A Arte da Falsa Confiança

Então depois de um longo tempo de assentamento, tudo começa a craquelar aos poucos.

Estalos calados, quase imperceptíveis. Para ela, claro, completamente mudos.

Cacarejos de atitudes justificadas pobremente e, mais uma vez, erosão.

Era o que ela pensava. O que diabos ela estava pensando?

Quantas vezes precisa-se abraçar equívocos para entender quão forte a vida soca?

Muito mais que um nariz quebrado, nada emenda decisões acéfalas.