segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Viando

Era estranho que preferisse olhar para o céu estrelado a conversar com alguma outra pessoa naquela festa. É fácil de se perder em pensamentos como os dela. Bastam segundos e ela já sumiu. Tudo o que é possível ver a sua frente é uma casca aeróbia.

Ela te aponta o Cruzeiro do Sul e te conta sobre sua vida de carretel. Ela tem cabelos de serpentina e esquece que hoje é Domingo. Amanhã não trabalha, mas não consegue se divertir quando a música está alta assim. Te pergunta sobre a tua camiseta e some de novo. Ela conta os batimentos cardíacos quando toca os dedos no pulso ou na lateral do pescoço.

De repente se sente sozinha. Se dissipa mais uma vez e começa a perguntar por que insiste em se colocar em situações como aquela. Olha em volta, comenta mentalmente sobre uma pessoa ou duas. Não consegue entender muita coisa do que acontece ali.

Sempre fica confusa durante suas doses de realidade.

8 comentários:

Lígia Ferreira disse...

Parabéns por textos tão lindos...
Gostei ;)
Sucesso !

Patricia Matias disse...

Gostei muito do texto também...

Já me coloquei muito na situação que vc descreveu...

Marcos Almeida disse...

As vezes ficamos presos a pensamentos que se sobrepõem a nossa realidade.


Belo texto.

Abraços.

Schmidtberger disse...

Legal! Eu não conheço vocês, mas sucesso ein! O meu blog é caikeschmidtberger.blogspot.com

maybe disse...

I'm appreciate your writing style.Please keep on working hard.^^

Não tem tu vai Te mesmo disse...

Me sinto assim como ela.

Bruna Santana Oliveira disse...

Muito bom texto!
Beijos,

Bruna

Cristina disse...

certezasdeincertezas.blogspot.com