sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

40 Graus

Se foi há um tempo. Há uma eternidade para mim. O que há com as areias do Rio de Janeiro, que sempre fazem com que as pessoas afundem seus pés lá e não mais voltem? O que há com o calor que o inferno mandou para cima, que faz com que os visitantes estrangeiros não se importem em ter seus cérebros fritos enquanto passeiam? E o bronzeado, o que tem naquele sol que faz com que os garotos e garotas reflitam a luz como um espelho cor de óleo queimado? O que há naquelas pessoas para pegarem um bem precioso e o arrastarem para longe?

Eu sinto falta, ainda que só faça um mês. Uma falta grande, como o Cristo Redentor. Uma saudade que cresce como sobem os bondinhos pelo Pão de Açúcar. Foi-se para sempre, ou ainda volta para os ares frios do Sul?

Te espero com um casaco pesado e um sorriso no rosto, o mesmo sorriso de quando falamos de doces caseiros.

Nenhum comentário: