sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Adeus, Au Revoir, Arrivederci e Farewell.

É o último. O último de muitos, muitos mesmo. Não compareci em metade deles, talvez um pouco menos. As paredes me viram crescer, me viram mudar, me tornar mais estranha e parecida com os outros a cada novo. É sempre novo.

A mochila nem cabe mais como adereço, uma vez que a pasta substituiu as alças, que minhas costas fizeram questão de recusar. Os livros se dividiram em vários, pequeninos. Ah, os pequeninos... Embora me assustem não creio que possa ter havido uma época tão fantasiosa na minha cabeça. Em todas as cabeças, de todas as minhas múltiplas personalidades ao longo dos anos.

Acabou assim: acabando lentamente a cada segundo que se arrastou. Eu me arrastei. Para a colorida, ainda que envelhecida, linha de chegada, que há muito espera por mim. E eu finalmente cheguei.

Terminou. E a Ilha nunca foi tão grande assim.

Nenhum comentário: