terça-feira, 16 de junho de 2009

WTF

Conheci dois caras uma certa vez. Um deles era um maníaco psicopata, cheio dos homicídios nas costas. Por alguma razão, ele gostava de ruivas, muito mesmo, ao ponto de não querer que elas pertencessem a ninguém. O outro cara tinha um coelho gigante, é meio difícil de acreditar, mas o coelho era tão grande, mas tão grande, que dava pra montar em cima dele igual a um cavalo. Ele tinha uma cela azul e se chamava Hooligans. Por que? Eu não faço ideia.

O psicopata, apesar da vida conturbada que levava, não mostrava remorso algum e era super otimista sobre as coisas, carregava o símbolo da paz no peito e se alguém perguntasse qualquer coisa que fosse sobre os crimes que ele havia cometido, falava sem nenhum problema e contava nos mínimos detalhes para quem quisesse ouvir. Era macabro e, com a sinceridade e naturalidade que ele relatava seus feitos, era quase impossível acreditar que eram reais (embora fossem). Quando perguntavam o motivo da carnificina toda, ele respondia que 'liberdade é fazer o que se gosta e felicidade é gostar do que se faz', eu demorei para entender, mas hoje eu vejo que o cara estava completamente doido, e certo.

O cara do coelho não era muito de papo, e as poucas coisas que ele falava tinham o bendito do Hooligans no meio. Sempre montado no bicho, com cara de quem não quer nada, olhar distante e as mãos o tempo todo acariciavam as orelhas do coelhão. O coelho era outro perdido na vida, sempre carregando o homem nas costas, com a mesma cara de quem não quer nada, o mesmo olhar distante e mexendo os bigodes toda vez que o cara lhe acariciava as orelhas. Não parecia feliz. Ambos, para ser sincera.

Os dois caras, o psicopata e o cara do coelho, moravam no mesmo bairro, apenas algumas casas os separavam, mas só se viam quando o cara do coelho saía para o trabalho montado no Hooligans. O psicopata passava os dias espiando pela janela, esperando que alguma ruiva passasse. Sozinhos em seus mundinhos, em suas cabeças engaioladas.

'As ideias são pássaros, meu filho, se você manter a portinha da gaiola aberta, elas sempre voltarão refrescadas'.

3 comentários:

Carmen disse...

Gostei disso... "liberdade é fazer o que se gosta e felicidade é gostar do que se faz".

Beijao
TE AMO

Mônica Mondo disse...

Eu sou o psicopata,de certeza, mas queria muito um coelho tão tão grande.

disse...

e ai eu esqueço dos teus 16!