terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Pássaros de Papel

Folhas de papel dobradas sobre a mesa. Dobradas ao meio. Um lápis bem apontado na cor vermelha esboça um círculo no branco, bem no meio de cada uma das folhas. Dentro do círculo, um outro, alongado, e uma cruz que corta ambos. Logo o desenho toma forma. Alguns traços, alguns cortes.

Penas de cartolina, milhares, coladas com fita adesiva. Um monte de papel dobrado, colado junto, montava uma coisa que só era entendida se olhada de perto. Um fio nas costas os prendiam ao teto, suspensos no centro da sala branca como o papel de que eram feitos. Piados e olhos piscando. Pássaros afinal! Despercebidos a quem atravesse a sala olhando para o chão.

Asas batendo com tanta ânsia de sair, bicos que abrem e fecham, olhos brilhantes como as estrelas do céu, cheios de vontade de viver, vontade que era expressa nos cantos, em um coro. Voariam janela a fora...

...Se não fossem apenas papel amassado.

2 comentários:

B&B disse...

eles podem na verdade, ser o que tu quiser =)

Camyli Alessandra disse...

eles podem ser tudo ... mas, vc tbm !