sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Mesa de Cirurgia

Por favor, pulmões, não deixem que eu perca o ar. Deixem-me concluir tudo o que eu preciso muito que saia aqui do peito.

Por favor, coração, tentes bater menos forte. Impeças minhas bochechas de se tornarem vermelhas e meus ossos do peito de lutarem para permanecer juntos.

Por favor, músculos, cuidem para que meus impulsos sejam segurados. Não permitam que eu me atreva a tomar decisões precipitadas, mesmo que isso signifique virar as costas e ir embora. Não antes de cumprir minha missão.

Por favor, cérebro, guies minhas palavras por caminhos sensatos e não toleres que eu hesite, nem ao menos uma vez.

Por favor, língua, que te controles, mas que te coordenes para não me privares de dizer tudo o que eu preciso.


Por favor, boca, eu te imploro que funciones e me deixes falar. Me deixes dizer o que eu sinto. Me deixes dizer que ele vive dentro destas cicatrizes.

Um comentário:

lihh disse...

e texto fooooda!
pqp.. amo mt tudo o que escreves, sério!

/boh

hahahaha