quarta-feira, 19 de março de 2008

Conversa Intramental

- Lamento informar, senhor, mas o senhor não tem cérebro.
- Não tenho, é?
- Não.
- Então isso explica minha falta de idéias, mão.
- Exatamente, senhor.
- O que eu vou fazer, então? Nada, pé?
- O senhor pode sentar e aguardar nessa filinha de espera, senhor.
- E demorar muito, céu?
- Em média 26 anos e 48 dias, senhor.
- Mas isso é mais do que eu vivi, mar.
- O senhor tem quantos anos, senhor?
- 24, pão.
- Então vou parar de chamá-lo de senhor, senhor.
- Então pare, sim.
- Parei... Rapaz.
- Melhor assim, véu.
- É, por que o rapaz usa monosílabas no final das frases?
- Porque exige pouco do meu cérebro, cú.
- Compreendo, se puder me acompanhar, eu ficaria lisongeado.
- Por que tu usas palavras complicadas, dá?
- Porque eu tenho dois cérebros.
- Tem, é?
- Tenho.
- Então dá um aê, né.
- Não, gosto de dois. A propósito, uso um só para jogar golf.
- Bom para ti, bicha!
- Tu falaste uma dissílaba.
- Me esforcei para te atingir.
- Mas não atingiu, senta-te aqui e preencha a ficha. Te vejo daqui 27 anos incompletos.
- Tchau, pá.

(Porque a vida na cabeça é muito mais dramática, absurda e divertida).

Nenhum comentário: